Lê. Faz-te mal.

  • Só numa praia

    Sobre o medo

    Perdido, escuro, só, deitado com a mão fora da camaConfuso, sonoro, alto, pendente da vertente de uma montanhaFugindo do eco dos próprios passos na rua nua e vaziaOlhar o cão que nos espera na curva do caminhoDizer-te mil vezes amo-te sem nunca abrir a boca Esperar por toda a vida que nunca chega por troca […] Mais

  • Cartaz envelhecido

    Sobre o Vírus

    Há um vírus à solta entre nós. Um vírus que mina a confiança dos que não podem viver uns sem os outros. Condenados pelos genes a vivermos em comunidade, a razão apenas constrói em cima do que a natureza já moldou. A construção social é, em parceria estreita com os genes, complexidade em cima de […] Mais

  • Árvore estilizada

    Sobre a eternidade

    — E agora que és eterno, que pensas fazer? Conhecer e compreender e saberAo ver firmemente o que é amarSorvendo a viagem como destinoDe Kerouac em redondo renascerEm apor a voz nas ondas do marLançadas à inocência de menino Ler nos olhos a vida que passaNo olhar das gerações fundidasQue é ser Homem e Mulher […] Mais

  • Silhueta no horizonte

    Sobre a solidão

    SóTão só como o fogo que ardeConsumido sem partilharO que lhe é dado para amar SóTão só como o sol que escondeSeu congénere mais distanteEm véu quente e ofuscante SóTão só como o velho de frondeLarga como o desespero frioDa foz que acolhe o seu rio SóTão só como o mundo covardeQuerendo a tudo que […] Mais

  • Rapariga à chuva

    Sobre a impermeabilidade

    Deixo a cidade para trásEmbrenho-me pelo ferro que se estendeÀ minha frente em síncopes visuaisDesaparecendo a silêncios ritmados Mil cavalos me puxam pelo denso do nevoeiroOnde bois ocultos aguardam que o medo lhesPasse pelas ventas molhadas para bufarFincados nos cascos e nada mais Chora por fora o vidro que separa este mundo do outroOuve as […] Mais

  • Homem perante universo

    Sobre o céu e a terra

    Deixo que nuvens, apartando-se, revelem a abóbada negra do firmamento côncavo, frio, suturado e impreciso da mente Estilhaçada em milhares de milhões de turbilhões de estrelas, cometas, planetas, mundos inteiros, rodopiando invisíveis, pontinhos de luz, branca e trémula Num firmamento semeado de pensamentos livremente presos, uns aos outros, por nada mais do que rodopios imemoriais […] Mais

  • Mãos pegam em laranja

    Sobre a laranja na mão

    Joana olhava a sua vida como quem olha e toma o peso a uma laranja na mão. Sentia-lhe a cor laranja de laranja vibrante, indeciso entre o vermelho e o amarelo, ouvia-lhe o peso que fazia ao saltitar levemente na mão, tomava-lhe o perfume cítrico de laranja acabada de colher da única árvore que agora […] Mais

  • paisagem urbana soturna

    Le gris, toujours le gris

    Por ter crescido a rudes golpes de Nick Cave e The Smiths, nunca gostei do sol e sempre temi a ausência dele. Ficava-me, de Walkman no bolso do anorak, pelos esquálidos dias cinzentos do Porto, esmoleres da minha alma de jovem, sempre a rondar os arredores de si mesma. Confortado com o frio das paredes, […] Mais

Load More
Congratulations. You've reached the end of the internet.
Para o topo
Send this to a friend