Mais posts

  • villain / vilão
    in

    De partida, chegada

    Perante a inevitabilidade da decisão tomada, aproximou-se da enorme lareira aberta. Atirou de um lanço metade do Brandy que tinha no copo para o fogo logo o consumir numa chama azul, sem rasto nem história. Olhava o fogo sem chama no olhar, mantinha o braço direito esticado na direção do fogo, palma aberta, voltada para […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Passa um homem…

    Passa um homem que julgo conhecer bem sem saber bem quem é. É alto o suficiente para o seu olhar estar acima de quase todos os olhares; mas não tão alto o suficiente para ser o mais alto. Talvez não haja o mais alto pois que, na verdade, apenas um poderá dizer: sou o mais […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Partia de um pensamento vazio

    Partia de um pensamento vazio, para um universo cheio de nadaNum café decorado a frio, meio de clientes de expressão velada Tomaria o autocarro ou a nave espacial? partiria pelo seu péPor entre ruas e estrelas; fenomenal! viagem de procura da fé Assalta a dúvida a cada esquina, para lá ou por aqui?Ainda me lembro […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Transformação

    Então diz-me lá; consegues transformar-te no que quiseres? Sim, consigo; mas com uma restrição importante. Qualquer coisa? Qualquer coisa, não; qualquer ser vivo; mas, como já te disse, com uma restrição importante. Pois, se te transformasses numa cómoda, iria ser difícil teres força de vontade para voltares à tua agradável pessoa. Sim, seria complicado. Posso […] Mais

  • Dançando por alexey turenkov
    in

    – Dás-me Lume?

    – Dás-me Lume? No momento em que os olhos se tocaramArregalados, fizeram os corações subir ao cumeDas suas existências vaziasOnde os desejos não se esgotam nem paramOnde todas as fogueiras são friasOnde os sentidos (sós) apenas exclamam E lá do alto sonharamCom uma vida repleta concreta discretaCheia de pequenas alegriasUnidas por uma paixão secretaPolvilhada de […] Mais

  • Jovem mulher deitada
    in

    Ninguém reparou

    Ninguém reparou que precisamente no instante em que ela nascia, o planeta Júpiter, sem razão aparente e sem que ninguém, astrólogo ou astrónomo o tivesse antecipado, colapsou sobre o seu imenso peso e se transformou numa pequenina estrela azul, tornando, mais os seus sessenta e três satélites, o nosso sistema solar num sistema binário, menos […] Mais

  • António Variações
    in

    Variações

    Faz hoje 30 anos que morreu António Variações. Fosse vivo e seria septuagenário. Ainda sei as canções de cor, ainda me emociono com a sua ingenuidade. Variações abriu uma porta numa altura em que tudo era cinza. Tivesse continuado a viver e a cantar e não haveria fome, nem dívida, nem cortes, nem carros cinzentos […] Mais

  • villain / vilão
    in

    SOL

    E o Sol fala de?… Muito poucos são aqueles que vejo nascer. Quase todos nascem debaixo de telha. Quando não estou a ver, mas está ela, aquela que namoro há milénios num bailado incessante, também quase todos nascem debaixo de telha. Só os mais desprevenidos, os mais apressados ou os mais expostos dos expostos, eu […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Triste é o poeta por se confinar ao homem

    Triste é o poeta por se confinar ao homem. Preso está o homem por ter em si um poeta. Que te encaram, homem e poeta, com diferentes olhos. Uns para olhar e outros para te ver, Uns para te querer e outros para te tomar, Ambos para dizer que te amam. Com beijos nos calas, com […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Diferenças

    Sabes a diferença, meu amor, entre ser e estar?Como passámos do que fomos ao que somos. A partir de que momento nos tornámos nós e deixámos de estar sós.Sabes a diferença entre a sede e o consolo, entre a fome e a saciedade? Ainda te lembras como distinguir entre a vontade e o desejo, o […] Mais

  • villain / vilão
    in

    O que eu gosto de ver o mar

    O que eu gosto de ficar a ver o marCom as ondas a quebrar devagarNum infinito rodopio de carrosselQue nos leva o cabelo e arrepia a pele Está muito cheio este ar deste marDo ruído das ondas infinitas a cavarCovas e peelings na areia que aguentaCom complacência e fugir não tenta Por vezes é Jah […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –10–

    A noite permanecia tão escura como misteriosa, o nevoeiro tão denso como uniforme, propiciando o surgir de todo o tipo de receios, medos e alarmes. Mais do que a visão assustadora de uma catástrofe eminente ou a face terrifica de um malfeitor como os que havia deixado para trás ou mesmo o galope temível de […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –9–

    A dada altura, adiantada a caminhada, o nevoeiro deu mostras de querer levantar. Não se ia embora, apenas se tornava menos denso, o suficiente para o deixar ver as bermas da estrada com maior nitidez. Nelas, acocorados junto a cada postalete reflector, aquilo a que, apenas por seus olhos grandes e encovados reflectirem mais que […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –8–

    Conduzia muito concentrado. As duas mãos no volante, olhos presos à estrada em frente. Só a deixavam quando olhava pelo retrovisor, para ver a estrada atrás. Olhava muito pelo retrovisor. O que era de estranhar: Não encontras o que procuras no meio da noite, numa estrada que em não passava um único carro em horas […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –7–

    Não houve comoção (aquela da agitação ou abalo; não a do pesar ou pena), não vieram carros com pirilampos azuis em seu encalço, nada de cenas de perseguição em que rouba um carro a um pacato cidadão que prefere parar e deixar-se arrancar do assento do condutor a guinar e seguir viagem, nem fugas audazes […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –6–

    Aceitei. Pode até ser noite para lá das luzes criadoras deste ambiente de permanentes onze horas da manhã. Posso continuar a achar que é noite, mesmo estando perante o atarefado local, mas o que se come ao pequeno almoço, seja uma ou duas sandes, acompanhadas de leite, chá ou iogurte, caem bem a qualquer hora […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –5–

    Não era uma estação de serviço. Era uma sala, sem paredes, que potentes mas invisíveis fontes luminosas recortavam do resto, que era a noite, como tal nada ou tudo, ocupada com secretárias dispostas em forma de ilha, formando grupos de oito postos de trabalho por cada ilha. Estas por seu turno estavam dispostas em quatro […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –4–

    De volta à estrada, à noite e ao nevoeiro, calcorreava de novo o separador central. Andando absorto, pensava em como se manar, em como se baldar. Não será a vontade de se manar própria contradição, pois que manar a vontade é verte-la para que se se evapore, se extinga; ou, se não se extinguir, deixa […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida?
 Pode aprender-se com o passado?
 Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? -3-

    A estação de serviço estava deserta. Nem carros, nem camiões a abastecer ou estacionados; apenas um gingle soprava pelos altifalantes colocados no alto das colunas que sustinham a cobertura das bombas desfazia a noção de que se tratava de um posto abandonado. A porta estava aberta, o que é estranho; pois o que seria de […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –2–

    ——Não te esqueças de começar pelo número 1; se já o leste ou tens preguiça, podes seguir lendo o número 2—— Desviou-se na direcção da nova estrada, andou uns metros até perceber que o clarão que vira da estrada principal se desvanecia a cada passo, perdendo dimensão à medida que ganhava nitidez, para se revelar […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –1–

    Dava passos muito largos pela estrada fora. Era noite, estava frio e o nevoeiro espesso envolvia-o de frio e incerteza. Seguia a direito, pelo meio da estrada, incapaz de se decidir por qualquer das bermas. Qual delas a mais acolhedora? Eram bermas largas, sinalizadas por traços brancos, alvos, sinal inequívoco de terem sido pintados recentemente. […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Se as festas fossem boas…

    Se as festas fossem boas, Saramago veria seu delírio concretizado. Se as festas fossem felizes, não haveria Natal dos hospitais. Se o Natal fosse bom, não haveria jantar de Natal dos sem abrigo. Se o Natal fosse feliz, não haveria campanhas de Natal solidário, onde animais com ar parvalhão nos impingem cachecóis, livros ou CD’s. […] Mais

  • villain / vilão
    in

    É espinho no flanco

    É espinho no flancoUma bofetada na caraÉ noite em brancoUma dor que não pára É um pé na poçaOutro espetado na lamaÉ frio que roçaTempo a mais na cama É caca caindoCaca de cão espalhadaÉ o ar fugindoda garganta esganada É ansear o abismoA vontade de desligarÉ acordar num sismoA vida quase a acabar É […] Mais

  • villain / vilão
    in

    É no nicho mais pequeno, pouco mais que gota de veneno

    É no nicho mais pequeno, pouco mais que gota de veneno, que está o António que é santo feito de pau mas não de pau feito, pois diz-se que nem em vida lhe deu dito efeito. Ajoelha-se a penitente em pranto e pede ao santo que lhe dê o pouco que lhe saiba a tanto; […] Mais

Load More
Congratulations. You've reached the end of the internet.