Mais posts

  • opulência
    in ,

    Avenida de Isabel dos Santos

    Não sejas parvo. Este é, claramente(?) um exercício de ficção. Foi em ambiente de pompa que o ministro do Trabalho e Segurança Interna, José Manuel Ventura, rebatizou a Avenida da Associação Empresarial de Portugal (ou Avenida AEP), como Avenida de Isabel dos Santos, empresária de alcance internacional, investidora sustentável e forte contribuidora para o sucesso económico de Portugal. A avenida […] Mais

  • João de Chagas (http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt)
    in ,

    Praça Arco-íris

    Não sejas parvo. Este é, claramente(?) um exercício de ficção. Foi num ambiente de festa e tolerância de género que na quinta-feira passada pelas 23:30 se procedeu à inauguração da renovada Praça Arco-íris, antigo Jardim de João Chagas, primeiro Presidente do Conselho de Ministros da República Portuguesa (atual Primeiro Ministro) e commumente conhecida pelos portuenses por Jardim da Cordoaria. O […] Mais

  • UKRAINE. Kiev. 2019. The Peoples' Friendship Arch
    in ,

    Praça do Revisionismo Iluminado

    Não sejas parvo. Este é, claramente(?) um exercício de ficção. Praça do Revisionismo Iluminado, é este o novo nome da antiga Praça do Império, após aprovação unânime em sessão de Câmara. O projeto foi apresentado por um grupo de cidadãos portuenses com ligações históricas aos continentes africano e sul-americano. “Trata-se de uma reparação há muito pedida”, afirmou Josinaldo Ráudinei, historiador […] Mais

  • Homem em pavilhão
    in ,

    A MetaIgreja de Cedofeita

    Não sejas parvo. Este é, claramente(?) um exercício de ficção. Foi por entre gritos de júbilo que a população da cidade do Porto, empunhando os símbolos aprovados pela MetaIgreja, assistiu e tomou parte da consagração, à MetaIgreja, do antigo edifício pertencente à Igreja Católica, e entretanto restaurado, na Rua de Cedofeita. Membros destacados desta rede religiosa, tanto nacionais como globais, […] Mais

  • Avenida dos Aliados
    in ,

    Avenida da Derrota da Vergonha

    Não sejas parvo. Este é, claramente(?) um exercício de ficção. A Avenida da Derrota da Vergonha, antiga Av. da Liberdade, está sempre engalanada para lembrar os que vivem na cidade e os muitos que por ela passam que tempos houve em a vergonha grassava no país. Grossos pendões negros, alternando a ouro as siglas AV e CH, adornam os edifícios […] Mais

  • fotos instantâneas
    in ,

    De ti

    Invade-me a memória da tua pele na minha pele, dos meus lábios perdidos no teu pescoço, do mar cantado no teu cabelo que voa e soa a jugo de liberdade, à doce rendição de nos trazer comigo, sempre e a toda a hora. Estás em mim como nas vidas que criamos; lançadas à vida, tão livres e autênticas, como o […] Mais

  • Paisagem no Montana, Estados Unidos
    in ,

    O velho chefe e a jovem colona

    – Estou em ti, e tu estás em mim. Dizia o velho que perdia a vida que lhe foi dada, à mulher que perdeu tudo que o seu ventre lhe tinha dado. Ela olhou-o nesse momento e para sempre como se finalmente o conhecesse, como se de apenas alma ambos se fizessem, tão ferido estava o ventre dela, tão próximo […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Cacofonia

    Uma cacofonia enche-me os ouvidos como água de uma piscina onde um sol abrasador me força a mergulhar e dela sou impedido de sair por um vento cortante. São vozes de mulheres e homens, de coisas que passam e cães que, de ladradores, ladram, estrepitosas umas, basais outras, ora em confronto ora em conluio; são vozes de si sobre si, […] Mais

  • villain / vilão
    in

    De partida, chegada

    Perante a inevitabilidade da decisão tomada, aproximou-se da enorme lareira aberta. Atirou de um lanço metade do Brandy que tinha no copo para o fogo logo o consumir numa chama azul, sem rasto nem história. Olhava o fogo sem chama no olhar, mantinha o braço direito esticado na direção do fogo, palma aberta, voltada para baixo, sem experimentar o calor. […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Passa um homem…

    Passa um homem que julgo conhecer bem sem saber bem quem é. É alto o suficiente para o seu olhar estar acima de quase todos os olhares; mas não tão alto o suficiente para ser o mais alto. Talvez não haja o mais alto pois que, na verdade, apenas um poderá dizer: sou o mais alto. E, mesmo assim, poderá […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Partia de um pensamento vazio

    Partia de um pensamento vazio, para um universo cheio de nadaNum café decorado a frio, meio de clientes de expressão velada Tomaria o autocarro ou a nave espacial? partiria pelo seu péPor entre ruas e estrelas; fenomenal! viagem de procura da fé Assalta a dúvida a cada esquina, para lá ou por aqui?Ainda me lembro dela tão pequenina, papá: chichi […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Transformação

    Então diz-me lá; consegues transformar-te no que quiseres? Sim, consigo; mas com uma restrição importante. Qualquer coisa? Qualquer coisa, não; qualquer ser vivo; mas, como já te disse, com uma restrição importante. Pois, se te transformasses numa cómoda, iria ser difícil teres força de vontade para voltares à tua agradável pessoa. Sim, seria complicado. Posso pedir-te que te transformes nalguma […] Mais

  • Dançando por alexey turenkov
    in

    – Dás-me Lume?

    – Dás-me Lume? No momento em que os olhos se tocaramArregalados, fizeram os corações subir ao cumeDas suas existências vaziasOnde os desejos não se esgotam nem paramOnde todas as fogueiras são friasOnde os sentidos (sós) apenas exclamam E lá do alto sonharamCom uma vida repleta concreta discretaCheia de pequenas alegriasUnidas por uma paixão secretaPolvilhada de ínfimas fantasias Pequenos blocos do […] Mais

  • Jovem mulher deitada
    in

    Ninguém reparou

    Ninguém reparou que precisamente no instante em que ela nascia, o planeta Júpiter, sem razão aparente e sem que ninguém, astrólogo ou astrónomo o tivesse antecipado, colapsou sobre o seu imenso peso e se transformou numa pequenina estrela azul, tornando, mais os seus sessenta e três satélites, o nosso sistema solar num sistema binário, menos extraordinário do que até então […] Mais

  • António Variações
    in

    Variações

    Faz hoje 30 anos que morreu António Variações. Fosse vivo e seria septuagenário. Ainda sei as canções de cor, ainda me emociono com a sua ingenuidade. Variações abriu uma porta numa altura em que tudo era cinza. Tivesse continuado a viver e a cantar e não haveria fome, nem dívida, nem cortes, nem carros cinzentos a perder de vista. Viva […] Mais

  • villain / vilão
    in

    SOL

    E o Sol fala de?… Muito poucos são aqueles que vejo nascer. Quase todos nascem debaixo de telha. Quando não estou a ver, mas está ela, aquela que namoro há milénios num bailado incessante, também quase todos nascem debaixo de telha. Só os mais desprevenidos, os mais apressados ou os mais expostos dos expostos, eu vejo nascer. Dado que poucos […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Triste é o poeta por se confinar ao homem

    Triste é o poeta por se confinar ao homem. Preso está o homem por ter em si um poeta. Que te encaram, homem e poeta, com diferentes olhos. Uns para olhar e outros para te ver, Uns para te querer e outros para te tomar, Ambos para dizer que te amam. Com beijos nos calas, com abraços baixas nossos braços. O […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Diferenças

    Sabes a diferença, meu amor, entre ser e estar?Como passámos do que fomos ao que somos. A partir de que momento nos tornámos nós e deixámos de estar sós.Sabes a diferença entre a sede e o consolo, entre a fome e a saciedade? Ainda te lembras como distinguir entre a vontade e o desejo, o vazio de perder e a […] Mais

  • villain / vilão
    in

    O que eu gosto de ver o mar

    O que eu gosto de ficar a ver o marCom as ondas a quebrar devagarNum infinito rodopio de carrosselQue nos leva o cabelo e arrepia a pele Está muito cheio este ar deste marDo ruído das ondas infinitas a cavarCovas e peelings na areia que aguentaCom complacência e fugir não tenta Por vezes é Jah que espraia claridadeDe norte a […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –10–

    A noite permanecia tão escura como misteriosa, o nevoeiro tão denso como uniforme, propiciando o surgir de todo o tipo de receios, medos e alarmes. Mais do que a visão assustadora de uma catástrofe eminente ou a face terrifica de um malfeitor como os que havia deixado para trás ou mesmo o galope temível de um animal, era a ausência […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –9–

    A dada altura, adiantada a caminhada, o nevoeiro deu mostras de querer levantar. Não se ia embora, apenas se tornava menos denso, o suficiente para o deixar ver as bermas da estrada com maior nitidez. Nelas, acocorados junto a cada postalete reflector, aquilo a que, apenas por seus olhos grandes e encovados reflectirem mais que os postaletes reflectores, tomaríamos como […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –8–

    Conduzia muito concentrado. As duas mãos no volante, olhos presos à estrada em frente. Só a deixavam quando olhava pelo retrovisor, para ver a estrada atrás. Olhava muito pelo retrovisor. O que era de estranhar: Não encontras o que procuras no meio da noite, numa estrada que em não passava um único carro em horas ou dias, sei lá, depois […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –7–

    Não houve comoção (aquela da agitação ou abalo; não a do pesar ou pena), não vieram carros com pirilampos azuis em seu encalço, nada de cenas de perseguição em que rouba um carro a um pacato cidadão que prefere parar e deixar-se arrancar do assento do condutor a guinar e seguir viagem, nem fugas audazes por condutas de descarga ou […] Mais

  • villain / vilão
    in

    Haverá lições a reter da vida? Pode aprender-se com o passado? Quem são os que olham para trás e temperam decisões com memórias? –6–

    Aceitei. Pode até ser noite para lá das luzes criadoras deste ambiente de permanentes onze horas da manhã. Posso continuar a achar que é noite, mesmo estando perante o atarefado local, mas o que se come ao pequeno almoço, seja uma ou duas sandes, acompanhadas de leite, chá ou iogurte, caem bem a qualquer hora do dia. Na verdade, a […] Mais

Load More
Congratulations. You've reached the end of the internet.