Mais posts

  • Universo
    in ,

    Confinado ao universo

    Tão presa à vidaA alma é solidãoPor se ver contidaNa negra vastidão Tivesse eu algemasFosse esta a prisãoCercado por barrasA que deitar a mão Fosse o meu olharPor barreira obstadoE sonharia escaparA viver vedado Levantasse o véuComo por esmolaVeria também euO céu que consola Eis-me tão confinadoCercado de horizonteDe infinito aprisionado Onde me sinto a […] Mais

  • Silhuetas em palco
    in ,

    Hamlet

    Paira sobre ti uma complexa simplicidadeComo se o que sabes não olhasse ao que és Habitas o tempo das cavernas celestiaisEnraizadas nas memórias de primatas oblíquosCego pelo deslumbre da pertença a um clube que criasteE ao qual nunca foste admitido Exalas das páginas de uma história míticaIndistinta e monocórdicaUma magnificência académicaDespojada de vida própria Partilhas […] Mais

  • Mulher com cabelo esvoaçante
    in ,

    Sobre a distância

    Só de Longe vejo o beloBenefício da distânciaPois chega tão só o zeloDelicado da fragrância Distanciado do mundoPurificada a visãoAbala-me o mais profundoDas coisas que há e não são Também de ti ó meu amorEm memória recortadaAcende em mim o calorDa beleza inalterada Mas tão contrário a este mundoQue perto me faz doerUnido a ti […] Mais

  • Floppy Disk. Arquivo
    in ,

    Memória

    Do que é nada, tudoSurgido como o mitoO pleno da existênciaDoloroso e gratificante Como uma memóriaApontada à cabeçaDirigindo mão e olharAfunilando a escolha Que cega a acçãoDo olhar alto e servilQue trava a escutaNo fim dos arcos-íris Passa o tempo quietoPor círculos a direitoFilmados a luz e dorBafientos, frios e baços Como se o corpoNão […] Mais

  • Praia de Leça
    in ,

    Verde e Azul

    Hoje estás verde. Verde como uma Esmeralda que se beija aos dezasseis. Por cima de ti, está azul. Azul rijo, como as Cerejas que se comem aos trinta. A meio, uma linha. Uma linha que separa Esmeraldas de Cerejas. Uma linha que só alcançarás quando for tarde demais. Uma linha que não existe por estar […] Mais

  • Sombra de estores em parede
    in ,

    Sobre o dia que nasce

    É dia, mas não ainda para mimLá fora correm luz, sons e pessoasActantes do que faz um dia, dia O sol desperto, espelha-se no mar, em distanciamento lentoAs flores dançam, animadas pela musicalidade da brisaOs pássaros há horas que deixaram de cantar Uma nesga de dia penetra, feliz, o quartoEste mundo, suspenso, é puxado para […] Mais

  • Aves em mangal seco
    in ,

    Fosse eu…

    Fosse eu outro e não te amariaNeste amor a carmim e quenteFosse eu o céu azul e não seriaCoração que lampeja ao ver-te Saltasse eu pelo mundo absortoDe quem vê a verdade num pauE não serias a canção no PortoDe um rio que por ti passo a vau Fosse eu uma árvore pequeninaE cresceríamos unidos […] Mais

  • Doação de sangue
    in ,

    Sobre a dádiva

    Parte de mim o que será outroInsuflando um ser que não euDo que sou para lá de mim Vida entregue à máquinaParcial e friamente devolvidaPlanta-me num desconhecido Enche e vaza a pequena tinaDe vida diluída em sangue vivoMultiplicando a unidade do ser Lá fora o mundo num vaivém sem trocaFixo eu…Parte de mim o que […] Mais

  • Nuvens à distância sobre o mar
    in ,

    Vento Norte

    Sinto em mim o vento do norte empurrando para longe a cordilheira de água que escurece o horizonte do olhar ; Como uma montanha mágica ; Donde Os arco-íris fogem ; A frescura do dia é igual ao afago da noite ; e A nortada que passa em mim não mexe os fantasmas bordeantes do […] Mais

  • Dente-de-leão
    in ,

    Sobre o Dente-de-leão

    Na minha negra secretáriaUm dente-de-leão espera partirCalmamente num copo de shotSem brisa que o faça fugir Leve e diáfanoSofre só de pensarO vento lá foraA soprar Dente-De-LeãoÉ frágil o teu coração Dente-de-leão tão quedoE mudo nessa doçuraDe dente mansoQue morde com candura Sonha partir(se) voandoSem rumo nem passaportePor entre pássaros e caosSonhando um muro por […] Mais

  • Selva
    in ,

    Contigo em todo o lado

    Estás comigo em todo o ladoAinda que seja pela noiteNegra fria e de céu veladoSem regaço que me acoite Estás comigo em toda a partePor muito sozinho que estejaConfinado entre a Terra e MarteNum carreiro gélido que flameja Estás comigo no quenteDo tempo vivido amandoO amor de estar presente No silêncio do teu comandoDe que […] Mais

  • Antílope
    in ,

    Porque sonhava

    Afundava a cabeça na almofadaFundia o corpo nos lençóisPerdia-se na luz que era a escuridãoDa noite que chegada há horasSó agora lhe tocava o serE o pintava de sono De olhos voltados para o seu universoEm distendidos reflexos da vozAbandona as margens seguras de siOnde é senhora do seu destinoPara navegar histórias de quem não […] Mais

  • deserto mítico
    in ,

    Sobre esta felicidade

    Voa solto o sopro da escuridãoSobre um qualquer macaco de imitaçãoDe cinza bicho indiferente e amorfoPerdido no fim de si mesmoDespido da forma que temSaudoso de tempos coloridos e arejados Num mundo reduzido tudo apertaRedutor e retraído é o espartilhoDe vento enjaulado e sol esbatidoDe véus agnósticos fluídosMedos de compendios extraídosRiscando liberdade no ressoado dos […] Mais

  • Graffiti máscara covil-19
    in ,

    X

    Percorre no profundo de tiQual lagoa no fundo do marSereno segredo que senti As quentes candeias do teu olharPor mares castanhos me perdiDesfolhando o livro de te amar Nos dias lentos de pandemiaEm fresco abrir da boca por dentroBrilha forte onde antes se escondia E lavra do esmorecido o centroFulcro da paixão de cada diaGerme […] Mais

  • Nascer do sol sobre o mar
    in ,

    Que o sol da tua boca

    Que o sol da tua bocaSeja o meu dia mais frioPor temor a um calor vazioInflado de nuvem barroca Que o céu do teu corpoSeja o mais perto de mimAmado amante sem fimDespido, o desejo encorpo Que a cor do teu sopro doceSeja a vida nas minhas veiasDe castelos móveis sem ameiasSonhando que medo me […] Mais

  • Homem em pé na proa de bote
    in ,

    Capitão do meu coração

    Quisesse eu ser num dia só o teu abraçoApertado no corpo de nós os doisDeitados no ventre que se encheu depoisCaminhando firmes rumo ao cansaço Quisesse eu ser o Capitão da minha almaNo vasto horizonte do olhar namoradoQue deixa cativo o mais forte e testadoImpotente perante a voz que me acalma Não quereria nem mais […] Mais

  • Só numa praia
    in ,

    Sobre o medo

    Perdido, escuro, só, deitado com a mão fora da camaConfuso, sonoro, alto, pendente da vertente de uma montanhaFugindo do eco dos próprios passos na rua nua e vaziaOlhar o cão que nos espera na curva do caminhoDizer-te mil vezes amo-te sem nunca abrir a boca Esperar por toda a vida que nunca chega por troca […] Mais

  • Árvore estilizada
    in ,

    Sobre a eternidade

    — E agora que és eterno, que pensas fazer? Conhecer e compreender e saberAo ver firmemente o que é amarSorvendo a viagem como destinoDe Kerouac em redondo renascerEm apor a voz nas ondas do marLançadas à inocência de menino Ler nos olhos a vida que passaNo olhar das gerações fundidasQue é ser Homem e Mulher […] Mais

  • Silhueta no horizonte
    in ,

    Sobre a solidão

    SóTão só como o fogo que ardeConsumido sem partilharO que lhe é dado para amar SóTão só como o sol que escondeSeu congénere mais distanteEm véu quente e ofuscante SóTão só como o velho de frondeLarga como o desespero frioDa foz que acolhe o seu rio SóTão só como o mundo covardeQuerendo a tudo que […] Mais

  • Rapariga à chuva
    in ,

    Sobre a impermeabilidade

    Deixo a cidade para trásEmbrenho-me pelo ferro que se estendeÀ minha frente em síncopes visuaisDesaparecendo a silêncios ritmados Mil cavalos me puxam pelo denso do nevoeiroOnde bois ocultos aguardam que o medo lhesPasse pelas ventas molhadas para bufarFincados nos cascos e nada mais Chora por fora o vidro que separa este mundo do outroOuve as […] Mais

  • Homem perante universo
    in ,

    Sobre o céu e a terra

    Deixo que nuvens, apartando-se, revelem a abóbada negra do firmamento côncavo, frio, suturado e impreciso da mente Estilhaçada em milhares de milhões de turbilhões de estrelas, cometas, planetas, mundos inteiros, rodopiando invisíveis, pontinhos de luz, branca e trémula Num firmamento semeado de pensamentos livremente presos, uns aos outros, por nada mais do que rodopios imemoriais […] Mais

  • Floppy Disk. Arquivo
    in

    Memória

    Passadas lá atrásAs passadas que guiaste guiadoPelas passadas passagensQue te trouxeram aquiSó Mas sempre acompanhadoPelos passos dos que em tiPassarame PassandoDeixaram as marcas dos passosQue passarás a quem para ti olhar Quando já fores passado Mais

  • Silhueta de mulher
    in ,

    Sobre tu

    Se há cores que cobrem as coisasTodas que existem nos meus olhosE se movem animadas pelas folhasDe universos permeados de escolhos Se há beleza no mundo feito de dorLancinada a cada dia morto o sonoVivido ao ritmo das mãos do escritorCavando regos digitais de abandono Se ainda há afetos e abraços veladosQue tomados refém do […] Mais

  • Praia: areia e mar
    in ,

    Sonora como o mar

    No intervalo do tempoEnsaiado na vontade de furarAs horas que passam perdidasHá… O tempo do mar De estar junto a ele e com eleSaturar-me do som que irrompePor entre as ondas e a areiaPor entre as gaivotas que passam Voando Imunes ao olhar suplicanteDos olhos presos ao tempoQue voa sem pairar pela dorDa vida colada […] Mais

Load More
Congratulations. You've reached the end of the internet.