Mais posts

  • Globo terrestre em relvado
    in

    Da cova – Para os Novos Velhos Tempos – Copérnico

    De forma um pouco melodramática, poder-se-á dizer que quando Nicolau Copérnico, em 1543, expirou, o fez segurando finalmente o seu: “Das Revoluções dos Mundos Celestes”. Nesse dia seriam enterrados Copérnico e o geocentrismo, concepção do universo de Ptolomeu, ou que Ptolomeu deixou aos vindouros, que afirmava ser a Terra o centro do universo e os […] Mais

  • mar tempestuoso
    in

    A luta

    a carta que queria ter-lhe entregue e do mar que começou por ser manso chãoenormíssima onda de tumultuo se alevantavento feroz redemoinho cortante vagalhãoque mesmo ao mais valente a força espantatalha o rumo varre o convés aperta o coraçãoa vida suga e esmorece e a morte agiganta e ao leme o homem de frio e […] Mais

  • Urso de pelúcia
    in ,

    O Urso de Pelúcia

    Lembro-me dos dias em que era um urso. Um urso de pelúcia que gostava do nome José. Não recordo o que era antes, o que fui depois ou o que sou agora. É irrelevante para a história que vou contar. Importa que, naquele tempo, era um urso de pelúcia numa loja de brinquedos. Era forrado […] Mais

  • Duas canecas
    in ,

    Hoje acordei com vontade de me levantar

    Ao sentir-me desperto,Acelerado pela luz que em mim entrava vinda da janela cuja persiana ficou em enrolado esquecimento,Cresceu em mim uma vontade tumescente que me impelia para longe daquela doçura que é o conforto absoluto de uma cama dormidinha,Onde a noite termina com um resignado regresso à vida. Agarrei-me a ela e para ela me […] Mais

  • Mulher com cabelo esvoaçante
    in

    Pelas Marias

    Maria Arnaldina vivia no que resultou de uma loja adaptada a habitação de uma vivenda revestida a azulejo. Deixou-lha a mãe que a obteve por graça de longos anos de trabalho quase escravo para os já falecidos donos da vivenda revestida a azulejo. O patrão da mãe de Maria Adosinda, último do casal a falecer, […] Mais

  • relvado com margaridas silvestres
    in ,

    Fuck’in eden

    Abril 25, 2010 Sonho descobrir um lugar que conheço há muito, muito tempo; Um sítio onde não tenho idade, porque tem piedade o tempo que a cada minuto arranca o fulgor da juventude encarcerada na mente enlevada, não importa o que aconteça, sem que se meça, ou se mande medir, os contornos dos actos e […] Mais