in ,

Vento Norte

Nuvens à distância sobre o mar

Sinto em mim o vento do norte empurrando para longe a cordilheira de água que escurece o horizonte do olhar ;

Como uma montanha mágica ; Donde
  • Os arco-íris fogem ;
  • A frescura do dia é igual ao afago da noite ; e
  • A nortada que passa em mim não mexe os fantasmas bordeantes do azul do céu abobadado ;
Que é
  • Tumultuo da alegria ;
  • Jamanta cobrindo o sol aquoso ;
  • Sonho de títere no bolso da história vencida ;
  • Ícaro terreno mirando o imenso céu com premonitória vertigem ;

Salta o vento do corpo para a mente e nela rodopia como que furioso por estar preso às paredes que o imaginam ;

Ruge entre os ouvidos e escapa-se a espaços nervosos pelo nariz que compassivamente lhe franqueia efémero escape ;

Devolve-se ao corpo e gela as extremidades numa invernia portátil que se transporta entre arrepios e desejos de sol e calor e vitamina D ;

Perde-se por fim no cansaço do derradeiro desafio de se consumir a si mesmo por estar só com o corpo que recusa claudicar ao conforto duma mente que não sai de si senão para olhar o horizonte refletido e arrefecer o vento norte que em si passa ;

.

Dente-de-leão

Sobre o Dente-de-leão

Gato dormindo em cima de muro

Dormindo 50