in ,

Sobre o Dente-de-leão

Dente-de-leão

Na minha negra secretária
Um dente-de-leão espera partir
Calmamente num copo de shot
Sem brisa que o faça fugir

Leve e diáfano
Sofre só de pensar
O vento lá fora
A soprar

Dente-
De-
Leão
É frágil o teu coração

Dente-de-leão tão quedo
E mudo nessa doçura
De dente manso
Que morde com candura

Sonha partir(se) voando
Sem rumo nem passaporte
Por entre pássaros e caos
Sonhando um muro por sorte

Dente-
De-
Leão
É forte a tua solidão

Arrancado ao corpo materno
Pelo tempo vais passar
Mas ele não passará por ti
Por seres a flor que vi
E a mão que sem pensar
Matando-te te fez eterno

Selva

Contigo em todo o lado

Nuvens à distância sobre o mar

Vento Norte