Lê. Faz-te mal.

  • Mar

    9. Suicídio por afogamento

    [Afogamento — (s. m.), acto de afogar ou afogar-se; sufocação.] — Que fazes? — Tenho uma epifania. — Então – e pergunto-to apenas para que disso te dês conta – porque sei eu que em meia hora estarás morto? — Porque me dei conta que não existes. — Não existo? Se falo contigo… Se te […] Mais

  • Caminho oculto

    Em família

    Um dia, quando circular pela cidade era tão permitido que chegava a ser banal e muitos o desprezavam, andando de carro de um lado para o outro, saímos a tirar retratos de bairros do Porto. Aqui mora gente Um novo amanhecer Mais

  • estátua grega, tronco, costas

    Sobre a História

    Homines quod volunt credunt A História é, sabemo-lo, queiramo-lo ou não, o relato dos acontecimentos passados. Como todas as ciências ou disciplinas científicas, tão vasto é o seu objeto, que o seu seccionamento se torna imperativo para um mais, ao mesmo tempo, circunscrito e abrangente rigor e entendimento desses acontecimentos. Percebe-se então que se chame […] Mais

  • Estátua de touro bravo

    Sobre touros e tourada

    E não sobre toiros e toirada, porque sou do Norte e, como a tantos outros nortenhos, a tourada pouco ou nada me diz culturalmente. É então como nortenho, citadino e urbano e humanista que me refiro a touros e tourada. Sempre imaginei um mundo perfeito, no qual ser dever de cada um, lutar pelo bem […] Mais

  • rapaz a gritar; microfone

    Projeto Novi

    Recomendo o Projeto NOVI – video e podcast de divulgação em ciência Podcast Vox ModumUma voz tranquila para a Ciência. Pitadas de humor, sarcasmo e toda a prescrição para combater um mundo contra-informado. Os maiores mistérios, do infinito ao infinitesimal – e passando por tudo o que está no meio – falados para todos. Tudo […] Mais

  • Tubarão nadando

    Mandou o pé

    Antes da paragem onde sairia pela última vez, mandou um dos pés à frente. O pé bom, aquele que marcava os golos quase todos, o que dançava melhor e o que sabia sempre quando ia chover. O que sobraria de si ficou no elétrico, esperando a chegada da paragem. Sentado junto à janela aberta, apoiava […] Mais

  • Anémonas microscópicas

    Porque o método científico liberta

    Para te ajudar a perceber o que tu já sabes, mas a idade (ainda bem) te eleva noutras direções, talvez beneficies e quebres a relutância que trazes para com os investigadores e a investigação científica se identificares e diferenciares dois conceitos simples: rigidez (1. Qualidade ou estado de rígido; 2. Aspereza; austeridade) e rigor (1. […] Mais

  • Mulher deitada, entre lençóis

    Haiku

    Assim te olhoNua por entre lençóisDe ondas brancas A Terra um diaVai olhar para nós eManda um vírus Mãe, vaso e nauQue nunca parte em mimFica o amor O corpo fixoDo tenso peito partiuPara lá de si Branca de neveCasta pela invejaDo belo fugaz Pelo teu olharFlui o rio do amorLongo e terno Mais

  • John Tecuceanu Unsplash

    Uma praga para matar outra

    Imerso nas gentes que saem cada vez mais e cada vez mais confiantes às ruas da cidade, como caracóis que emergem dos recessos dos muros e das folhas de couve para sorverem a manhã húmida, sigo finalmente sozinho comigo mesmo. Faço o percurso mais ou menos habitual, porque nunca me habituo a nada que não […] Mais

  • Praça dos Poveiros

    Poveiros

    Na praça da cidade esquecida pelas visitas, Indigentes e Desocupados perseguem vidas de exclusão, impermeáveis ao pequeno travão que por ser pequeno, nem o vimos chegar e nos ajoelhou a todos. São Pretos de canadiana gasta, são Velhos de barba e gorro sujos, são Mulheres acabadas pelo álcool, invisíveis aos olhos dos que passam apressados […] Mais

  • Luzes de cidade

    Faz-te feliz

    I colhe as palavras do firmamento da língua para as derramar musicalmente por brancuras de neve perfumada; embala sonhos de musgo pelas dunas do amor, descendo desespero subindo esperança; deixa no horizonte silencioso promessas de solos férteis em memórias de arranha-céus candentes e vagos; arranha a consciência do cão que apenas se tem a si […] Mais

  • Parede com grafiti

    Azul

    A doce luta. Só tens de a por a andar. Mais

  • O Homem da praia

    O homem da praia

    Há uma praia que visito sempre que posso. É uma praia sempre deserta, com um areal limpo e alisado pela cheia da maré. O ar está sempre fresco, a maresia aviva o espírito e faz o corpo corresponder com saltos pelas pedras que a baixa-mar expõe. Procuro caranguejos por debaixo das pedras, busco camarões, peixes […] Mais

  • estátua grega, tronco, costas

    o Herói

    Todos os heróis são involuntáriosSai-lhes da mão a históriaPorque ao destino são contrários Alvo de honra e memóriaPor alto erguerem a sua espadaOs cobrem de fama e glória São como vela ao vento enfunadaAríete ao destino lançadoFindo o vento mais são que nada É o vento o fado douradoQue resgata o mortal do anonimatoE seu […] Mais

  • Praia nublada

    Esplanada > Nuvens > Mar

    Esplanada Imagino-me sentado numa esplanada batida pelo sol que dissimula o seu intento soprando-me uma brisa redonda. Sentado só, numa mesa para quatro rodeado de mesas vazias, pés na cadeira oposta e costas reclinadas, encaro o sol de olhos vedados e ouvidos abertos ao mar hesitante. Sobre a mesa: uma chávena de café, fria e […] Mais

  • M. Caravaggio - Cena de Emaús

    Chiaro Scuro

    A imensidão negra é inundada de luz no mais íntimo do que somos. Como se apenas a noite que amanhece na persistência das sombras, deixa para trás languidamente e se evapora na luz do dia que irrompe em onda mansa, nos deixasse cegos a mais um dia entre muralhas. Muralhas compostas de paredes e móveis, […] Mais

  • fogo suspenso

    Dançando

    Há anos que dançamos juntosSem mais que dádiva por féAbraçados, separadosDançamos em péDançamos deitados Há anos que dançamos juntosAo ritmo do nosso amorDançamos na alegriaE dançamos na dorDançamos na euforiaDe viver dançando a florQue é uma vida que dançaDo nascimento ao estertor Mais

  • capa de livro "ESTRADA"

    ESTRADA

    Livro em formato PDF Mais

  • Gaivota encarando de frente

    O dia amanheceu

    Ponto I O dia amanheceu esconso; céu frio e vento austero, como se o inverno se propagasse tal qual vírus cristalino que contagia a primavera. De pé, à janela, encaro o logro meteorológico como um jornal mudo. Passa um senhor e depois um carro. Passam mais um ou dois carros e logo pára um autocarro, […] Mais

Para o topo

Ad Blocker Detected!

Esta página não faz publicidade mas liga-te a outras páginas de projetos com sentido social e pedagógico. Desliga o adblocker para as poderes ver.

Refresh

Send this to a friend