Lê. Faz-te mal.

  • silhouette of hugging couple

    Ó tu

    Minha amada mulher… Que te tornes o mito do nosso amor e vivas muito para lá de mim Que sejas cantada por poetas verdadeiros que dêem o teu verdadeiro corpo às palavras absolutas Que os mesmos poetas verdadeiros elevem o teu verdadeiro ser às estrelas para assim ficarem abaixo do que és Que seja amor […] Mais

    Ler+

  • Luar entre nuvens

    Num trono II

    Vão-se as horas e fica o tempo vazioApós todos os incrementos quantitativos do cansaçoO dia desmobiliza e se perde em passos finosDa luz que se esvai em sucessivas pinceladas deAmarelo alto, laranja heróico e vermelho frioAos poucos sumindo-se do olhar saudoso Quando sei que o dia acabou e a noite entrou em mim? Quando é […] Mais

    Ler+

  • Mão na mão. Por Ryan Franco

    27 de julho

    Neste dia, seis anos antes do dia dos dias, lembro-me que quase não te vi. Tinhas-me dito que precisavas te libertar de quem nunca te conseguiu cativar. Estive longe de ti todo esse dia, com o pensamento em ti. No teu fato de banho rosa, nos teus cabelos de ondas castanhas agitadas, no teu sorriso […] Mais

    Ler+

  • Grafitti - mãos

    25 de julho

    Se me lembro de algo, do dia dos dias, foi que nos beijamos muito. Está nas fotos; estaria na gravação de vídeo que o tempo levou antes que a pudéssemos digitalizar. Lembro também que estavas linda. Que estávamos felizes; felizes como até aí nunca estivemos. Havia sorrisos, cerimónia e fotografias e canapés. Havia o sol […] Mais

    Ler+

  • Praia e mais nada

    Num trono

    Um tapete de prata estende-se à minha frente num deserto azul; líquido e carregado; diáfano e gasoso. Nada mais existe, nem a areia sob os pés, nem a silhueta recortada no azul eterno. Voa redonda, em bicos de asa, fechada no silêncio do vazio que a sustém. Dá-se por gaivota, mas é alma negra; demarcada […] Mais

    Ler+

  • Perdido numa seara

    Perdido

    Podem animais facilmente perder-seEsquecem por desleixo o seu caminhoDepois farejam o chão como se fosseGrande fundo medo de ficar sozinho Só animais altos e baixos querem terMais dos altos e baixos por companhiaNum mundo excessivo onde se perderGrande pano veloz do dia-a-dia Tal como bicho que fareja seu igualRumo sonho e memória em mim castoÀs […] Mais

    Ler+

  • Praça da República no Porto

    0. República

    1. Os bancos espalhados à volta do jardim, de um vermelho cansado, mais soalheiros ou mais sombrios, consoante a sorte de árvore que os apascenta ou a hora do dia, estão, ora habitados, ora devolutos. Nesta hora de sol a ser sol, e sem obstáculos à sua solidão, os bancos sombrios estão quase todos habitados; […] Mais

    Ler+

  • Folhas de livro antigo

    Morte, sempre a morte

    “Mason folheou todo o relatório e estudou as fotografias. Della Street olhava-o em silêncio, fumando um cigarro e acabando um cocktail.Pierre trouxe o jantar, admirou-se da distração de Mason e disse galantemente para Della Street:— Fico vinte anos mais novo, aposto o meu braço direito.Não — emendou de repente — com vinte anos a menos, […] Mais

    Ler+

  • Folha dourada em fundo azul

    Algo extraordinário me prende ao que sou hoje

    Algo extraordinário me prende ao que sou hoje A força de um abraço que me solta da clausuraNuma liberdade de nada querer e nada desejar . . . Nascida do sol de uma noite de anos perdidosProcurando encontrar apenas na perda do SolO prazer em não ser mais do que um povoador Das almas dispostas […] Mais

    Ler+

  • Canal de São Roque, Aveiro

    Canal

    Sentado em frente ao canal verde pelo lodo remexido à passagem dos escassos barcos com escassos turistas, olhava alheado a passagem de folhas e limos e espumas e detritos. Uma ocasional máscara, ou luva de plástico, trazida pelo vento da estação de serviço sobranceira ao muro onde uma mulher com um vestido azul acompanha um […] Mais

    Ler+

  • Luzes de cidade

    Encontraram-se

    Encontraram-se a meio de uma noite que findava no começo de um novo dia Trocaram olhares de dádivas sôfregas em noites claras que não passaram de efémeras carícias infinitas Amaram-se para sempre na proximidade de uma memória distante, perdida numa juventude que se encontra em cada foto recordada de uma gaveta esquecida Perderam-se naquele encontro […] Mais

    Ler+

  • Luar entre nuvens

    Em dias de luar

    Há dias de luarEm que a fresca luzTe deixa resplandecerDum desejo forte de amarQue vestes como alvo capuzDo corpo nascido para amanhecer Ânsias de luarEm dias tórridosDe invernos imóveisPrimaveras com falta de arEm frios dias entre dedos sumidosDebaixo de vidas forrando paredes frágeis Liberdade no luarÉ o que quero para nósRespirar como beijo fundoPois como […] Mais

    Ler+

  • Recolha de alimentos

    Há os que…

    Há os que dão e há os que não dão. Dos últimos, nada a dizer para já. Dos primeiros, os que dão, há os que quase nos arrancam o saco da mão; há os que fogem com o olhar mas que respondem ao repto levando o saco e trazendo um pacote de arroz ou massa […] Mais

    Ler+

  • Entre luz e sombra

    Positivo/Negativo

    Choveu. Choveu muito. Como não chovia há anos. O solo, ontem um lago ilusório, seco e escaldado, é hoje um campo verdejante, minado de flores amarelas e vermelhas. Térmitas recolhem o que outrora foram leões e zebras e hipopótamos e tecelões, em bocadinhos de infinito. Do carbono ao carbono; quão longe e quão perto estavam […] Mais

    Ler+

  • A escola do futuro como vista em 1900. Private Collection/Look and Learn/Bridgeman Images

    maquinaMUNDI: Nova imagem

    A reformulação do maquinamundi.com teve como objetivo melhoramentos na legibilidade de posts mais longos, favorecer a visualização e procura de artigos e melhorias na navegação. Divirta-se. Mas antes consulte outro trabalho realizado aqui. Mais

    Ler+

  • Mar

    9. Suicídio por afogamento

    [Afogamento — (s. m.), acto de afogar ou afogar-se; sufocação.] — Que fazes? — Tenho uma epifania. — Então – e pergunto-to apenas para que disso te dês conta – porque sei eu que em meia hora estarás morto? — Porque me dei conta que não existes. — Não existo? Se falo contigo… Se te […] Mais

    Ler+

  • estátua grega, tronco, costas

    Sobre a História

    Homines quod volunt credunt A História é, sabemo-lo, queiramo-lo ou não, o relato dos acontecimentos passados. Como todas as ciências ou disciplinas científicas, tão vasto é o seu objeto, que o seu seccionamento se torna imperativo para um mais, ao mesmo tempo, circunscrito e abrangente rigor e entendimento desses acontecimentos. Percebe-se então que se chame […] Mais

    Ler+

  • Estátua de touro bravo

    Sobre touros e tourada

    E não sobre toiros e toirada, porque sou do Norte e, como a tantos outros nortenhos, a tourada pouco ou nada me diz culturalmente. É então como nortenho, citadino e urbano e humanista que me refiro a touros e tourada. Sempre imaginei um mundo perfeito, no qual ser dever de cada um, lutar pelo bem […] Mais

    Ler+

  • rapaz a gritar; microfone

    Projeto Novi

    Recomendo o Projeto NOVI – video e podcast de divulgação em ciência Podcast Vox ModumUma voz tranquila para a Ciência. Pitadas de humor, sarcasmo e toda a prescrição para combater um mundo contra-informado. Os maiores mistérios, do infinito ao infinitesimal – e passando por tudo o que está no meio – falados para todos. Tudo […] Mais

    Ler+

  • Tubarão nadando

    Mandou o pé

    Antes da paragem onde sairia pela última vez, mandou um dos pés à frente. O pé bom, aquele que marcava os golos quase todos, o que dançava melhor e o que sabia sempre quando ia chover. O que sobraria de si ficou no elétrico, esperando a chegada da paragem. Sentado junto à janela aberta, apoiava […] Mais

    Ler+

Para o topo