Lê. Faz-te mal.

  • Antílope

    Porque sonhava

    Afundava a cabeça na almofadaFundia o corpo nos lençóisPerdia-se na luz que era a escuridãoDa noite que chegada há horasSó agora lhe tocava o serE o pintava de sono De olhos voltados para o seu universoEm distendidos reflexos da vozAbandona as margens seguras de siOnde é senhora do seu destinoPara navegar histórias de quem não […] Mais

  • deserto mítico

    Sobre esta felicidade

    Voa solto o sopro da escuridãoSobre um qualquer macaco de imitaçãoDe cinza bicho indiferente e amorfoPerdido no fim de si mesmoDespido da forma que temSaudoso de tempos coloridos e arejados Num mundo reduzido tudo apertaRedutor e retraído é o espartilhoDe vento enjaulado e sol esbatidoDe véus agnósticos fluídosMedos de compendios extraídosRiscando liberdade no ressoado dos […] Mais

  • Banco de jardim

    Sobre Portugal ser o melhor país do mundo

    Há pouco, sentado num banco de jardim, pela primeira vez em semanas, meses, sei lá, percebi porque dizem os portugueses e dizem sobejamente os não portugueses, que Portugal é o melhor país do mundo. É que, sentado num banco de jardim inundado pelo sol de março, a pessoa (como tão bem te referes a ti […] Mais

  • página do projeto LONO

    Projeto LONO

    O Projeto LONO é um espaço de oficinas educativas para crianças dos 0 aos 9 anos. Proporciona atividades criativas, onde as brincadeiras surgem naturalmente a partir de objetos e temáticas incomuns. Um espaço a visitar e deixar as crianças expressar-se. Sabe mais em: https://www.lonoproject.com Mais

  • céu azul

    Y– ou, Céus Azuis

    Rendo-me, resignado, ao inútil do tempo eterno que é o céu de março, matizado ainda de fevereiro. De como o azul se deixa vencer pelo sol, pelo seu corpo imberbe, de astro rei que faz bailar todos em seu redor, em prisão rodopiante. É o preço a pagar pela vida; ser uma pedra gelada e […] Mais

  • Beijo

    Pedi-te um beijo

    Pedi-te um beijoDaqueles pequeninosQue suspiram ao descolarOs lábios secos pela sofreguidãoDo amor que nos ata a alma e os corpos Pedi-te um beijoDaqueles pequeninosE deste-me uma vida todaEm cores de sonho de eternidadeDa tua boca o mar dos beijos que te peço Mais

  • Icebergs

    Estar além

    Estar além, pá. Estar além. Como se a nossa vida não vivesse em nós, mas nos sonhos de viver e nas vivências de sonhar. Como se o estar aqui não fosse mais do que uma projeção passada do local onde, na realidade, já estamos, mas ainda não nos demos disso conta, senão no sonho do […] Mais

  • Graffiti máscara covil-19

    X

    Percorre no profundo de tiQual lagoa no fundo do marSereno segredo que senti As quentes candeias do teu olharPor mares castanhos me perdiDesfolhando o livro de te amar Nos dias lentos de pandemiaEm fresco abrir da boca por dentroBrilha forte onde antes se escondia E lavra do esmorecido o centroFulcro da paixão de cada diaGerme […] Mais

  • Nascer do sol sobre o mar

    Que o sol da tua boca

    Que o sol da tua bocaSeja o meu dia mais frioPor temor a um calor vazioInflado de nuvem barroca Que o céu do teu corpoSeja o mais perto de mimAmado amante sem fimDespido, o desejo encorpo Que a cor do teu sopro doceSeja a vida nas minhas veiasDe castelos móveis sem ameiasSonhando que medo me […] Mais

  • Homem em pé na proa de bote

    Capitão do meu coração

    Quisesse eu ser num dia só o teu abraçoApertado no corpo de nós os doisDeitados no ventre que se encheu depoisCaminhando firmes rumo ao cansaço Quisesse eu ser o Capitão da minha almaNo vasto horizonte do olhar namoradoQue deixa cativo o mais forte e testadoImpotente perante a voz que me acalma Não quereria nem mais […] Mais

  • Onda ! Mar

    Sobre o caminho

    Flor, ainda fresca, ainda com pétalas preguiçosas por abrir, sorri e pergunta qual o caminho. Sobre o caminho, o homem que ao seu lado se senta, com uma única flor por companhia, perde-se na pergunta. Ele, que tem uma única flor por companhia, vê passar a humanidade em ritmos desumanos de indiferença sobrevivente. Perde-se na […] Mais

  • Só numa praia

    Sobre o medo

    Perdido, escuro, só, deitado com a mão fora da camaConfuso, sonoro, alto, pendente da vertente de uma montanhaFugindo do eco dos próprios passos na rua nua e vaziaOlhar o cão que nos espera na curva do caminhoDizer-te mil vezes amo-te sem nunca abrir a boca Esperar por toda a vida que nunca chega por troca […] Mais

  • Cartaz envelhecido

    Sobre o Vírus

    Há um vírus à solta entre nós. Um vírus que mina a confiança dos que não podem viver uns sem os outros. Condenados pelos genes a vivermos em comunidade, a razão apenas constrói em cima do que a natureza já moldou. A construção social é, em parceria estreita com os genes, complexidade em cima de […] Mais

  • Árvore estilizada

    Sobre a eternidade

    — E agora que és eterno, que pensas fazer? Conhecer e compreender e saberAo ver firmemente o que é amarSorvendo a viagem como destinoDe Kerouac em redondo renascerEm apor a voz nas ondas do marLançadas à inocência de menino Ler nos olhos a vida que passaNo olhar das gerações fundidasQue é ser Homem e Mulher […] Mais

  • Silhueta no horizonte

    Sobre a solidão

    SóTão só como o fogo que ardeConsumido sem partilharO que lhe é dado para amar SóTão só como o sol que escondeSeu congénere mais distanteEm véu quente e ofuscante SóTão só como o velho de frondeLarga como o desespero frioDa foz que acolhe o seu rio SóTão só como o mundo covardeQuerendo a tudo que […] Mais

  • Rapariga à chuva

    Sobre a impermeabilidade

    Deixo a cidade para trásEmbrenho-me pelo ferro que se estendeÀ minha frente em síncopes visuaisDesaparecendo a silêncios ritmados Mil cavalos me puxam pelo denso do nevoeiroOnde bois ocultos aguardam que o medo lhesPasse pelas ventas molhadas para bufarFincados nos cascos e nada mais Chora por fora o vidro que separa este mundo do outroOuve as […] Mais

  • Homem perante universo

    Sobre o céu e a terra

    Deixo que nuvens, apartando-se, revelem a abóbada negra do firmamento côncavo, frio, suturado e impreciso da mente Estilhaçada em milhares de milhões de turbilhões de estrelas, cometas, planetas, mundos inteiros, rodopiando invisíveis, pontinhos de luz, branca e trémula Num firmamento semeado de pensamentos livremente presos, uns aos outros, por nada mais do que rodopios imemoriais […] Mais

  • Mãos pegam em laranja

    Sobre a laranja na mão

    Joana olhava a sua vida como quem olha e toma o peso a uma laranja na mão. Sentia-lhe a cor laranja de laranja vibrante, indeciso entre o vermelho e o amarelo, ouvia-lhe o peso que fazia ao saltitar levemente na mão, tomava-lhe o perfume cítrico de laranja acabada de colher da única árvore que agora […] Mais

  • paisagem urbana soturna

    Le gris, toujours le gris

    Por ter crescido a rudes golpes de Nick Cave e The Smiths, nunca gostei do sol e sempre temi a ausência dele. Ficava-me, de Walkman no bolso do anorak, pelos esquálidos dias cinzentos do Porto, esmoleres da minha alma de jovem, sempre a rondar os arredores de si mesma. Confortado com o frio das paredes, […] Mais

Para o topo

Ad Blocker Detected!

Esta página não faz publicidade mas liga-te a outras páginas de projetos com sentido social e pedagógico. Desliga o adblocker para as poderes ver.

Refresh

Send this to a friend