in ,

Finalidade

Tablet e planta

Passa a torrente apaixonada do ímpeto

E nada mais fica no ecrã de luz branca

Que o poema ditado pelo passageiro

Incomodado por ser irremediavelmente

Triste narcisista e sem reflexo que se olhe

Que lhe segure a mão e lhe dê o alento

Necessário para não ter de se perguntar:

  1. Para que servem essas palavras?
  2. Quem as tomará para si?
  3. O que fica do que escreveu?
  4. De que lhe serve o pensamento que o extravasa?
Busto de perfil

PSFB